Rogue One

Por que Rogue One é melhor que O Despertar da Força

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS DE “ROGUE ONE” E “O DESPERTAR DA FORÇA” (É BOM AVISAR ANTES QUE HAJA ALGUM MIMIMI)

Imagine que você fosse um personagem do universo de Star Wars. Um dia desses qualquer, algum outro personagem começa a contar uma história dizendo “Ei, já te contei como a Aliança Rebelde conseguiu descobrir um meio de destruir a Estrela da Morte? Então, havia um engenheiro chamado Galen Erso…”. Pois é exatamente isso que é Rogue One – Uma História Star Wars. É uma história dentro de outra. E é por isso que funciona perfeitamente bem. Melhor dizendo, não é só por isso, mas o fato de levar o espectador a este nível de compreensão é um belo ponto de partida. Toda a atmosfera de Star Wars está ali – e apesar do enredo estar diretamente ligado aos acontecimentos principais da saga, o espectador se conecta mesmo com este universo é por meio das várias referências, características dos personagens e dos detalhes que compõem a obra.

Ora, e O Despertar da Força não tem nada disso? É claro que tem, é um bom filme, mas ele é mais como a história sendo vivida. Sabe quando estamos contando para alguém sobre algo e aquilo parece muito mais importante/divertido/triste do que realmente foi? Eu diria que é isso que faz a diferença neste caso. Bem, para explicar melhor meu ponto de vista, podemos enumerar algumas razões:

1. O Despertar da Força é a primeira parte de um novo arco

Este filme funciona como uma introdução ao novo arco da saga. Ainda não sabemos as reais intenções de alguns personagens e nem como outros irão se comportar ao longo dos próximos filmes. É como se estivéssemos lendo um livro e, ao chegarmos a um terço de suas páginas, alguém perguntasse “este livro é bom?”. Já Rogue One é uma história acabada, o que contribui para a sensação de satisfação ao sairmos do cinema. Conhecemos os personagens e suas motivações, vimos qual foi o desfecho daquilo tudo. E sim, o final sempre importa (vide Lost, por exemplo).

2. Os personagens de Rogue One são mais interessantes

São personagens mais cativantes e com os quais nos identificamos mais. Como não se comover com o monge cego que tem a Força quase como uma religião? Como não sentir a dor que traz consigo o capitão Cassian? E o androide K-2SO? O melhor robô de toda a franquia! O seu jeitão “sincericida” proporciona excelentes piadas ao longo do filme.

Felicity Jones, como a protagonista Jyn, vai muito bem ao representar a força e a personalidade de sua personagem. O elenco, aliás, se sobressai, com destaque para o ótimo Forest Withaker, um extremista rebelde. O elenco de O Despertar da Força também é ótimo, o que seria um “empate técnico” neste quesito.

3. Os extremistas rebeldes liderados por Saw

Achei essa abordagem muito interessante. As ações do rebelde Saw Gerrera no combate ao império se assimilam a ações terroristas, coagindo prisioneiros e realizando ataques em plena cidade. Ou seja, não é porque estão do lado certo da história que suas atitudes não devem ser questionadas. O radicalismo por si só corrompe a causa.

Outros episódios da saga trazem alguns questionamentos morais e até políticos, algo que não é visto no episódio VII.

4. A aterrorizante Estrela da Morte

Não seria exagero dizer que o grande vilão de Rogue One é a Estrela da Morte. Em O Despertar da Força a Estrela da Morte 2.0 destrói vários planetas de uma só vez e ainda assim não nos impressiona; neste filme a direção tomou uma excelente decisão ao colocar em primeiro plano o efeito devastador da destruição provocado pelo raio mortal, assim como o enfoque para a arma em si, dando a ela uma aparência ainda assustadora. Sua figura sombria vista pelos habitantes nos céus da Galáxia emana o olhar do próprio Darth Vader. E por falar nele…

5. Darth Vader

Aquela cena é melhor que o episódio I inteiro.

Se o nível de qualidade for mantido, o filme solo de Han Solo (eu não poderia perder a chance de escrever isso) tem tudo pra ser mais uma bela “história Star Wars”. Pois Rogue One mostrou que este universo é tão grandioso quanto a Força existente nele.

E você, concorda comigo? Deixe sua opinião nos comentários!

P.S.: Enquanto escrevia este texto, soube da notícia da morte de Carrie Fisher. A mais corajosa das princesas só ganhou vida graças ao seu carisma e personalidade. Que a Força esteja contigo, Carrie.